03 maio 2013

Ei garçom!



“Ei garçom! Pode me trazer uma dose bem cheia de felicidade e amor próprio porque é exatamente disso que estou precisando. E já que o senhor está aqui, vou aproveitar sua companhia e desabafar um pouco. Sabe por que estou lhe pedindo essa grande dose de felicidade senhor garçom? É porque ela se escondeu de mim no exato momento em que eu quis encontrá-la. Procurei em todos os lugares, abri todas as gavetas e armários, busquei atentamente qualquer sinal que indicasse a mera passagem da mais pura alegria, mas não encontrei. Tentei voltar pelo menos por alguns instantes ao passado e reviver aqueles momentos que me fizeram tão bem quando era criança. Uma rede na varanda, a leve brisa que passava e me acariciava o rosto delicadamente ou o crepitar do fogo no fogão a lenha em um dia de frio. Surpreendentemente, essas lembranças não causaram o efeito que eu gostaria que houvessem provocado. Portanto adentrei vários bares e boates apenas para testar chamar a tal da felicidade, mas ela não me atendeu. Desculpe-me se lhe incomodo, mas não me restou opções além de vir até aqui e pedir-te que realize o meu desejo. Há muito tempo que almejo a felicidade, aquela apenas minha e de mais ninguém. Não quero mais depender da felicidade dos outros para então me sentir feliz, já fiz isso e me arrependo por ter me deixado em segundo plano. 
Dependi da felicidade dele, fiz tudo o que pude e até aquilo que não estava ao meu alcance, somente para vê-lo sorrindo. Não me arrepende de tê-lo feito sorrir, até porque o sorriso dele sempre foi o mais lindo em todo o universo. Pena que ele não deu o devido valor a todo o meu esforço. Por isso lhe pedi a dose de amor próprio. Perdi muito tempo amando-o com todas as forças e esquecendo-se de mim. Agora é a vez de me amar em primeiro lugar. Preciso amar-me mais e dedicar menos afeto a qualquer outra pessoa. Afinal, elas nunca fariam tal esforço por mim, de qualquer maneira. E pensando melhor, talvez o senhor possa me trazer duas doses de amor próprio, pois acabei de perceber que é por falta disso que a felicidade não me encontra. Quero imediatamente embebedar-me de coisas boas, não me importo se for cair em cada esquina na hora de ir para casa. Só quero que a felicidade me corra pelas veias, domine meu coração e simplesmente me faça feliz. Porque sinceramente, depois de tudo que passei, eu mereço.”

2 comentários:

  1. Mt bom o texto!
    Da uma passadinha?
    http://meumundo-minhaopiniao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Se o garçom for boa pinta e bom de papo a felicidade pode reaparecer.
    Belo texto.

    www.cchamun.blogspot.com.br
    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo